(62) 98505-8357 (WhatsApp) [email protected]
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

 

A hipótese de pesquisa desempenha o papel fundamental de base norteadora durante o desenvolvimento de um texto científico.

Muito comumente, um trabalho de pesquisa é iniciado com a concepção de um tema gerador de uma problemática. Assim, a partir de toda a literatura já existente acerca desse tema, a hipótese de pesquisa tem a intenção de pré-afirmar uma resposta que servirá como uma bússola que o pesquisador passará a seguir até que esta se confirme ou se revele insustentável.

Dessa forma, considerando que a hipótese de pesquisa é uma suposição que guiará o início do estudo científico, o pesquisador deve ter em mente que sua natureza é temporária e incerta, podendo — e devendo — ser colocada à prova a fim de definir seu grau de aplicação e veracidade em relação aos problemas pertencentes ao tema.

 

Características indispensáveis de qualquer hipótese de pesquisa

 

É certo que não existe uma fórmula concreta sobre como criar uma hipótese de pesquisa do zero. Afinal, cada uma deve ser concebida a partir das demandas específicas do tema que está sendo estudado.

No entanto, existem aspectos que, se não presentes em uma hipótese de pesquisa, podem dificultar o desenvolvimento do trabalho inteiro e tornar menos nítido o objetivo pretendido pelo pesquisador. Quer saber quais são essas características? Continue conosco!

 

1. A hipótese é uma afirmação

 

Uma hipótese não deve trazer mais perguntas para a problemática do estudo científico e nem divergir da resposta na qual ela está baseada. Por isso, o primeiro fator a ser levado em conta é que a hipótese de pesquisa deve ser redigida na forma de uma sentença declarativa que deve ser concisa, clara e exata. Para esse fim, evite utilizar termos que contraponham a ideia de exatidão como, por exemplo, “ruim”, “bom”, “pouco”, “muito” etc.

 

2. A qualidade da hipótese de pesquisa depende de uma boa revisão da literatura

 

Ao formular uma hipótese de pesquisa, busca-se estabelecer uma possível solução para um problema posto em questão. Assim, é inútil basear essa afirmação em um fato que já é amplamente comprovado pela literatura, da mesma forma que é inviável formular uma hipótese com a declaração de algo universalmente considerado como falso.

Dessa forma, pode-se dizer que a concepção de uma boa hipótese depende da capacidade do pesquisador de saber usar as informações à sua disposição de forma crítica e ponderada.

 

3. A hipótese de pesquisa precisa ser colocada à prova

 

Isso significa que uma hipótese científica deve ser passível de comprovação ou refutação dentro das técnicas que estão disponíveis para o pesquisador. Sabendo disso, não se pode tirar proveito de uma hipótese que, mesmo promissora, não é capaz de ser testada devido a impedimentos práticos ou teóricos.

 

4. A hipótese de pesquisa tem natureza empírica

 

Para propor uma possível resposta ao problema levantado no texto, é fundamental que a hipótese de pesquisa considere, acima de tudo, fatos tirados da observação de experiências vividas. A teoria e os métodos científicos existem para sustentar a hipótese, mas não são sua essência. Afinal, o intuito de uma pesquisa é chegar a conclusões sobre tópicos reais, inexistentes na literatura ou amplamente contestadas e discutidas por ela (a literatura).

 

5. A hipótese deve ser relevante para o estudo

 

A hipótese de uma pesquisa representa, fundamentalmente, aquilo que o pesquisador busca tirar da pesquisa estudada. Por isso, se um trabalho de pesquisa abandona a hipótese para seguir algum outro caminho, ela deixa de cumprir sua função básica. Assim, o pesquisador deve ter em mente que todo o desenvolvimento de seu projeto precisa estar voltado, direta ou indiretamente, para a busca de evidências capazes de sustentar ou contestar aquilo que foi inicialmente declarado na hipótese de pesquisa.

 

6. Uma hipótese de pesquisa é capaz de suscitar indagações

 

Como resultado disso, ao se deparar com a hipótese no início de um trabalho, é possível que o leitor se pergunte “como?” ou então “por quê?”. Um bom projeto de pesquisa é construído de modo a responder essas perguntas, mesmo quando a afirmação se mostra falsa — nesse caso, a pesquisa deve elucidar as perguntas “como não?” ou “por que não?”.

 

Mãos à obra!

 

Agora que você está familiarizado com a hipótese científica e sabe que ela não é nenhum bicho de sete cabeças, é hora de tornar esse recurso um aliado para seu estudo científico. E lembre-se: toda ideia é válida e pode ser um ponto de partida promissor para elaborar a hipótese do seu trabalho. Gostou das dicas? Você pode se subscrever logo abaixo e ser informado de novos artigos como esse!

 

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.