Hoje, o mundo inteiro comemora a diversidade cultural. Nós do Mundo Escrito, de alguma forma, olhamos para esta questão diariamente. Somos inspirados a cada novo serviço de otimização de textos e obras dos nossos clientes autores, que sussurram diferentes tipos de sugestões de qualidade de vida e de liberdade de expressão, algumas vezes de maneira sutil e outras até agressivamente, quando envolve sentimentos urgentes e pulsantes.

A cultura é o “cabedal de conhecimentos de uma pessoa ou grupo social”, conforme diz um dicionário; para mim, é a expressão mais espontânea de um povo. Por se tratar de espontaneidade, a cultura está diretamente ligada à essência, aos sentimentos e aos valores individuais de cada povo. Portanto, isso é sagrado e “não se bole!” (como bem diz o baiano).

Cada indivíduo é uma diferente e complexa combinação de energias, emoções, cognições, crenças, consciência e história; tudo isso se encaixota obscuramente nos diversos invólucros nomeados seres humanos. Cada conjunto de seres humanos compõe um grupo social, que expressa suas particularidades de maneira ampliada; os diversos grupos sociais moldam suas áreas geográficas de acordo com suas específicas visões de mundo; e cada área vai assumindo, através do tempo, um cenário idealmente adaptado ao espírito do seu povo.

Homens, mulheres e crianças de cada região vivem harmoniosamente entre si, ajustados a seus próprios costumes e comportamentos específicos, da mesma forma que os membros de uma família convivem em seu lar doce lar. Nisso está implícito e explícito um direito inalienável. Ninguém conhece um lar mais do que seus moradores, portanto, somente eles devem dar rumo à sua história. Cada povo merece respeito; merece reverência. Um ser humano nunca foi e jamais será igual ao outro. Vivamos então, felizes, a diversidade cultural!!!

Só assim poderemos ser livres, espontâneos, criativos e continuamente mais desenvolvidos! Saudamos todos os povos! Saudamos todas as culturas!!!

Torne isto mais acessível.