Tempo estimado de leitura: 3 minutos

 

O uso da crase, geralmente, causa muita dúvida na hora de escrever. Seja pela quantidade de regras, seja pela possibilidade de exceções, o fato é que esse tipo de acento pode atormentar a vida de muita gente por aí.

Pensando nisso, fizemos uma lista com os erros mais comuns no emprego da crase para, digamos assim, dar aquela força e relembrar suas aplicações.

E, para facilitar o processo, começamos apresentando algumas definições importantes para entender melhor o conceito que está por trás desse assunto, tudo bem?

 

O que é a crase?

 

A crase nada mais é que a junção da preposição “a” e do artigo definido “a, as”. Então, a dica básica que muitos professores de Língua Portuguesa dão quando estão explicando o assunto é: trocar a preposição “a” por “ao” e o substantivo feminino por um substantivo masculino (sem prejuízo de sentido nessa substituição) mostra que o acento indicativo de crase deve ser empregado.

Por exemplo:

Fui à praia ontem.

Fui ao litoral ontem.

Percebeu como isso pode facilitar a vida na hora da dúvida? Pois é, mas, se a regra é tão fácil assim, por que tanta gente faz confusão quando precisa usar a crase? A resposta é simples: porque existem casos em que o uso é facultativo, ou ainda porque existem casos especiais.

Bom, agora que a gente já sabe tudo isso, vamos para os erros de crase mais comuns?

 

11 erros comuns no uso da crase

 

1. Antes de palavras no masculino

 

Uma das regras da crase é que ela não deve ser utilizada antes de palavras no masculino. Entretanto, na hora da dúvida, muita gente comete o erro justamente por não se lembrar dessa regra.

Formas corretas

Fui a pé ao restaurante.

Paguei a televisão a prazo.

 

2. Antes de verbos

 

Quando o assunto é verbo, muitas pessoas também se esquecem e acabam colocando o acento de forma equivocada.

Formas corretas

Meu irmão começou a trabalhar.

Elas estavam dispostas a terminar o jogo.

 

3. Nomes de lugares

 

Na referência de lugares, o macete a seguir também some da memória, abrindo espaço para ainda mais escorregões.

Vou a, volto da = crase

Vou a, volto de = não há crase

Formas corretas

Vou a Paris na próxima semana.

Nas férias, iremos à Europa.

 

 

4. Antes de palavras no plural

 

Assim como nas situações anteriores, o branco também é recorrente se o plural entra em jogo.

Formas corretas

As vagas são destinadas a pessoas com deficiência auditiva.

As histórias pertenciam a escritoras famosas.

 

5. Antes de pronomes indefinidos

 

Pronomes indefinidos (alguém, alguma, nenhuma, certa, tudo, cada) costumam deixar as pessoas perdidas, isto é, vendo crase onde não há.

Formas corretas

O professor pediu silêncio a todos.

Minha mãe se dirigiu a outra escola.

 

6. Entre palavras repetidas

 

Nas palavras repetidas, os deslizes colocando o acento também podem ser compartilhados.

Formas corretas

Colocou o remédio gota a gota em sua boca.

Ficou cara a cara com o inimigo.

 

7. Com a locução “a partir de”

 

E, nem sempre, quem usa a locução “a partir de” sabe que deixar o acento é um erro.

Formas corretas

A partir de hoje, os trabalhos estão suspensos.

O almoço será servido a partir das 11 horas.

 

8. Na indicação das horas

 

Para aqueles que precisam indicar as horas, o sufoco com o uso da crase também é garantido.

Formas corretas

Sairei às 7 horas da manhã.

Vamos sair da aula às 17h30.

 

9. Antes de pronomes pessoais

 

Com os pronomes pessoais, normalmente, falta cuidado e a lembrança da regra (não há crase antes deles).

Formas corretas

Meu pai pediu a ela um grande favor.

Os professores recorreram a mim.

 

10. Com a locução “à moda de”

 

No caso da locução prepositiva “à moda de”, muitos são dominados pela ideia do masculino e omitem o acento indicativo de crase de forma errônea.

Formas corretas

Minha mãe gosta muito de frango à passarinho.

Utilizava uma escrita à Machado de Assis.

A expressão “à moda de” também pode aparecer no feminino:

Bife à parmegiana, saída à francesa.

 

11. Antes da palavra distância

 

E, por fim, quando a palavra distância está envolvida, pouca gente sabe realmente o que fazer. Assim, o importante é ter em mente que, se a distância não está determinada, o uso da crase não é preciso. Mas, se a distância estiver determinada, o uso dela passa a ser obrigatório.

Formas corretas

O radar é capaz de detectar problemas a distância.

O radar é capaz de detectar problemas à distância de 100 metros.

E para você? Como anda seu conhecimento sobre o uso da crase? Esperamos que tenha apreciado nosso artigo. Ah, nossa postagem anterior teve uma alta apreciação por parte de nossos leitores, gostaria de ler? Ela trata de 13 curiosidades sobre a língua portuguesa.

Informação adicional: se você escreve com regularidade e não tem tempo suficiente para revisar os seus textos, conte com a gente. Temos uma equipe profissional de Revisão de Textos, especializada em revisão acadêmica, literária, técnica, publicitária e de qualquer outra natureza.